09 junho 2009

Meus Ídolos Minhas Referências - Miguel Nicolelis



DEUS
Deus é uma necessidade que todo nós temos de explicar de onde nós viemos. Aparentetemente existe uma uma necessidade intrincica de nosso cérebro de contar uma história. Eu tenho uma teoria sobre isso. Eu acho que o cérebro é um grande simulador. O cérebro simula a realidade, completa, desde a nossa identidade pessoal, o nosso corpo é uma simulação, claramente, nós temos evidencia de vários laboratóriosno mundo para isso ...mas ela simula a realidade, toda realidade que nós construimos, toda história da nossa vida, e essa historia tem que ter um começo, ela tem que ter uma explicação lógica de onde nós viemos, eu acho que é nesse dominio que a noção de deus, de religião vem.

2 comentários:

  1. De fato. O cérebro é um tipo de simulador. Pensando bem, muita coisa nunca ia dar certo sem simuladores - a ciência nunca iria funcionar, porque imagina só você construir um acelerador de partículas diferente para cada teoria atômica que fosse testar.

    De repente, o ser humano não seja *mais* inteligente que outros animais, só que um pedaço considerável do nosso cérebro é dedicado à simulação, então você não precisa testar se o seu plano vai dar certo, pode ser só uma questão de pensar um pouco mais.

    ResponderExcluir
  2. Ô LOCO MEU!
    acabei de assitir a entrevista toda!
    quando abri a janela e vi 2 horas de video achei que ia cansar logo e parar de assitir, mas acabei vendo inteiro e achei bem legal!
    uma coisa que me deixou pensando muito foi perceber que em alguns momentos ele sentia sua identidade sendo seu cérebro(eu sou o que o meu cérebro é),não só em relação a ele mesmo, mas tbm quando falou de seus alunos " cérebros que vão aprender", depois novamente quando estava falando sobre jornalismo e internet, " os cérebros por trás das informações"
    bacana, mas será que NOS SOMOS O QUE NOSSO CÉREBRO É?
    ai lembrei de algo que li num livro do Dalai Lama, que ele fala sobre ciência e espiritualidade:
    "quando uma pessoa percebe o azul, nenhuma quantidade de explicação neurobiológica chegará até a base da experiência. sempre deixará de fora qual é a sensação de ver o azul. da mesma forma um neurocientista pode ser capaz de nos dizer se uma pessoa está sonhando, mas pode explicar o conteudo de um sonho?
    pode-se fazer uma distinção, entretanto, entre isto como uma sugestão metodológica e a premissa metafísica de que a mente nada mais é que uma função ou propriedade emergente da matéria. mas pressupor que a mente é redutível à matéria deixa uma enorme lacuna explanatória. Como explicamos a emergência da consciência?"
    bom sem conclusão nenhuma deixo uma questão ai, ela me parece muito interessante!
    enfim gostei muito desse miguel ai! hahahaha

    ResponderExcluir

pitacos carinhosos