17 abril 2009

ianomâni



as 2 reportagens escritas estão AQUI e AQUI

me impressionou a imagem daqueles indios, nua e cruamente, fiquei grudado na tela de tv. foi ontem mesmo, assistimos um documentário na NHK (tv pública japonesa) de uma equipe que depois de 10 anos de negociação, conseguiu que permitissem entrar na maloca para filmar o contidiano da tribo. a equipe ficou 150 dias comendo e dormindo na tribo, documentando os detalhes dos ritos, os xamans, a agricultura, a alimentação, a aprendizagem dos meninos na caça, a vida dos casais, o parto, etc... o que mais me impressionou foram as cenas de pós-parto, onde a mãe (de 14 anos) decide se aquela criança no chão, que acaba de sair da barriga, vai tornar um ianomani (que na lingua deles siginifica "ser humano"), ou permanece como espírito e volta a natureza. rodeada pelas mulheres da tribo que ajudam no parto, depois de momentos de espectativa, finalmente ela decide. e então ela embrulha o corpo (não dá pra saber se ainda vivo) na folha de bananeira e pendura na árvore para que as formigas carnívoras levem de volta a natureza... (ao contrário da reportagem acima, aparentemente esta a criança parecia ser saudável, sem defeitos). a narração conta que ninguém pergunta nada do motivo da decisão dela, nem incentiva e nem desencoraja. uma decisão sómente dela... e que naquele ano, houve 20 partos na aldeia. 10 retornaram a natureza e 10 tornaram ianomani. poderia se dizer que a eutanásia é uma questão resolvida para eles.... lembrei do filme de shohei imamura "balada de narayama". os humanos no planeta (na visão do lovelock), a da vida dos ianomanis (na visão do documentarista) e a do vilarejo de narayama (na visão de imamaura). estas três situações me vieram em em imagens sobrepostas....

Nenhum comentário:

Postar um comentário

pitacos carinhosos