01 outubro 2010

Raymond Kurzweil

Um comentário:

  1. Os cientistas reducionistas tem tanta fé na ciência como um teísta qualquer.

    Trabalho com engenharia de software há uns bons anos e há falhas cruciais nesse "conseguimos recriar o cérebro".

    Nosso limite de processamento hoje está em 10petaflops se eu não me engano, e até hoje tudo o que se consegue fazer (sendo grosseiro) é aumentar a velocidade das decisões.

    Se entende perfeitamente um neurônio, mas mal e porcamente seus inter-relacionamentos.

    A parte subjetiva da consciência e da inteligência é o que foge do controle da ciência reducionista, e esses caras adoram o controle.

    Esse papo de suprir a demanda de consumo humano também me cheira a fé.
    Não se sabe se "dará tempo" de fazer, por exemplo, com que os painéis solares (grandes, caros e de vida útil em torno de 20 anos) fiquem viáveis para suprir toda a energia necessária a uma superpopulação humana.

    Essa conversa de imortalidade então beira a esquisofrenia megalomaníaca...

    ResponderExcluir

pitacos carinhosos