19 maio 2009

Cosmovisões Antagônicas

acaso ou não?
duas cosmovisões....
seria mesmo antagônicas?
seria uma questão de gosto?
gostar de maçã ou de pera?
ou das duas?
ou nem de qualquer outra coisa...?
alam



A lei universal de Darwin explica que o Homo sapiens surgiu como conseqüência de um fenômeno meramente aleatório…
, o acaso é o pai da humanidade.

A luta pela vida na Terra começou quando surgiu uma molécula capaz de formar cópias de si mesma: a molécula de RNA. Mais tarde, por pressão da necessidade em armazenar maior quantidade de informação genética, o RNA deu origem ao DNA.

Na versão humana corrente, a cadeia de eventos que vai das primeiras moléculas auto-replicantes ao aparecimento dos mamíferos é um fenômeno evolucionário predestinado a atingir o apogeu da Criação: o Homo sapiens. Para justificar essa posição majestática entre os seres vivos, vangloriamo-nos da complexidade de nosso sistema nervoso, como explicam os mais racionais. Ou, de termos sido criados à imagem e semelhança do Criador, como preferem os religiosos.

Há 150 anos, quando a ciência ainda pregava que todas as formas de vida teriam sido criadas por Deus num único dia, dois naturalistas ingleses, Wallace e Darwin, enunciaram uma teoria maravilhosamente simples: cada pequena variação genética presente num ser vivo, quando útil, é transmitida às gerações futuras. Na competição pela vida, as mais aptas sobrevivem e se multiplicam. Charles Darwin chamou essa teoria de seleção natural. Com a parcimônia que caracteriza nossa espécie, em vez de seleção natural, preferimos acreditar numa evolução natura, segundo a qual a competição teria tido como objetivo permitir que as espécies evoluíssem até chegar ao homem. Embora não se possa descartar definitivamente a hipótese de que o sonho das amebas seja gerar uma descendente que case com o príncipe da Inglaterra, os dados paleontológicos apontam na direção oposta à da visão evolucionista, antropocêntrica.

As bactérias mais antigas, encontradas em rochas de 3,5 bilhões de anos, se multiplicaram e a vida unicelular dominou a Terra por quase 3 bilhões de anos. Então, 600 milhões de anos atrás, nasceram os primeiros seres multicelulares, surgiram o sexo e as versáteis combinações de genes que deram origem a fungos, plantas, vermes, mosquitos, dinossauros, formigas e muitas outras formas de sucesso ou fracasso ecológico.

A lei universal de Darwin explica que a Homo sapiens surgiu como conseqüência de um fenômeno raramente aleatória, em nada diverso do que deu origem aos besouros ou as árvores com flor.

Na linhagem evolucionária que conduziu à nossa espécie, as coincidências foram tantas, que é provável estarmos solitários no universo. Há 530 milhões de anos, por exemplo, ocorreu uma explosão sensacional de biodiversidade na Terra. Entre as formas de vida presentes naquele momento havia urna criatura aquática dotada de um eixo dorsal chamado notocordia, precursor de nossa coluna vertebral. Estivesse extinta essa criatura naquele instante, nem sonharíamos existir.

Mais tarde, ainda debaixo da 'água, surgiu um peixe com coluna vertebral dura e pouco flexível, desvantagem grande para nadar, porém fundamental para suportar o corpo na terra. Sem esse nadador desajeitado, não teriam surgido os animais terrestres.

Há meros 65 milhões de anos, quando a Terra era dos dinossauros e os mamíferos constituíam um pequeno grupo de roedores noturnos, caiu um meteorito que abriu uma cratera de 10 quilômetros de diâmetro na península de Yucatan, no México. Provavelmente, conseqüência da poeira levantada e da atividade vulcânica que se seguiu ao impacto, os dinossauros foram extintos de urna vez (os únicos dinossauros que sobraram foram as aves). Um desvio de milésimo de grau na rota desse corpo celeste, e seriam eles os donos do planeta até hoje, como o foram par 200 milhões de anos.

Nas savanas da África, há 5 milhões de anos (um segundo no relógio evolucionário), apareceu um primata de 1 metro de altura que, pressionado pela falta de comida nas árvores e pela geografia da savana, adotou a posição bípede. Devido à configuração dos músculos da laringe, tal primata desenvolveu uma linguagem de complexidade gramatical sem precedentes, que teria exercido pressão irresistível sabre o cérebro para desenvolver o lobo frontal. A aquisição do lobo frontal, além de deixar a testa menos achatada do que a dos chimpanzés e gorilas, multiplicou a capacidade de planejamento de nossos ancestrais a níveis incomparáveis com outras espécies.

Do ponto de vista filosófico, a visão do surgimento do homem como resultado do acaso é insuportável para os que procuram um significado transcendental para a vida. Na própria sucessão dos acontecimentos que levaram ao homem, os religiosos identificam o dedo do Criador. Antagonicamente, os que interpretam o mecanismo de criação e diversificação da vida como simples capricho de moléculas replicantes em competição permanente pela reprodução de cópias consideram que uma intervenção divina subtrairia a beleza infinita do processo.

Drauzio Varella - CAROS AMIGOS - ABRIL 2000

5 comentários:

  1. Ola!! Entao, como bióloga sei que na teoria evolucionista sabe-se da existencia de mais outros especimes (como o Neandertal) que provavelmente tambem desenvolveram linguagem como nós.
    Não acredito que a visão evolucionista seja antropocêntrica, afinal, leva em consideração que os eventos (além de não acontecerem aleatoriamente, pois existe seleção) ocorrem através de mutações aleatórias e que não existe a ideia de progressão, sendo assim, as bacterias evoluem em sua forma e os outros seres na deles, sendo nós, humanos, seres em termos evolutivos tão adaptados (sem levar em cosideração os problemas sociais da nossa especie) quanto uma bacteria, o que nos coloca numa posição no minimo humilde em relação a todas as formas criadas.
    Sobre as questões religiosas, bem, a integração enquanto queremos olhar as coisas de forma separada e oposta fica dificil, mas acredito que isso pode ser mudado... se vissemos toda a beleza da criação e dentro dela a evolução dos seres, poderiamos pensar em um arquetipo criador e maravilhoso que deu origem a tudo (como uma alma ou espirito) que surge antes da matéria e indica se aquela forma que sera provavel... considerariamos tanto "Deus" - que seria como lei universal em ação e que evolui conforme algumas leis que a ciência descobriu... são diferentes olhares para um mesmo fenômeno. É só necessário humildade e ampliar a compreensão de Deus e da evolução! (bem, sei que não é simples, mas sinto que o caminho segue por aí... ou talvez nao seja nada disso, hehehe) Luz e amor a todos...

    ResponderExcluir
  2. Carissimo Alam,Paz e Bem!
    Parece mesmo que toda "realidade", abstrata (como uma idéia ou um sentimento), ou concreta (como o solo ou uma unha encravada), tem ou esta dentro da Lei da Polaridade, tão bem expresso naquele simbolo do circulo do yin/yang.
    NADA é completo. Nenhuma teoria ou metodo seve pra TUDO. Assim somo sempre colecionadores de fragmentos circunstanciais da Realidade... Isso faz meu coração sossegar um pouco. Tira um bocado de ansiedade em querer uma "palavra final" sobre quialquer coisa.
    Gostei muito dessa frase final: ...qualquer homem encontra as provas do que deseja acreditar...
    E não é mesmo. ARE BABA! TIC, TIC...
    Eduardo/77

    ResponderExcluir
  3. >qualquer homem encontra as provas do que deseja acreditar

    trocando em miúdos, conforme o homi acredita, o mundo lhe responde...

    huummm... ficou tipo 'O Segredo' rsrs

    mas penso que é salutar pensar em todas as hipóteses e testar diversos modelos, um de cada vez (tipo eu) e ver o que funciona melhor

    abraços, meu mano véio!

    do japão

    ResponderExcluir
  4. hum....mano
    > "e ver o que funciona melhor"
    a questão é : qual é o parametro que vc (ou eu, ou nós ) usa para de avaliar se "funicona melhor"
    aí existe juizo de valor?
    qual é a base desse juizo?

    ResponderExcluir
  5. Comentários maravilhosos....

    ResponderExcluir

pitacos carinhosos