11 março 2009

transcedentais - 1980

falei do mitio, o queridíssimo maibrodi, o terceiro da escala cronológica, o mais radical nas mudanças.
durante a estadia de um mês aqui no brasil, foi procurar os amigos dos tempos aqueles ( inicio dos anos 80, da espiritualidade riponga, hair, yoga, maharishi, rajneesh, sanyasin, aurobindo, krishnamurth, hendrix, xhá de lírio, maconha, bioenergética, terapias corporais, etc), era nóis pegando o rabicho da contracultura.....
e então ele achou esses quadros que ele tinha pintado que estavam com a sonia wail. ( me disseram que ela é sobrinha do pierre wail, ela nunca me disse isso....)
e eu que achava que esses ftinham sido queimados juntos com outros quadros e livros, quando ele se converteu ao cristianismo evangélico, ou vulgarmente falando, "virou crente".
eu não estava em casa, no dia que ele fez isso.
botou todo o passado "coisa de demonio" pra fora do quarto, amontoou no quintal, e fogo!!!
bão, esses quadros, eu acompanhei toda feitura dele, morávamos na casa da chácara canaã, em londrina, então, ela traz lembranças, muitas lembranças.
caçamba! ouvia dizer que os velhos gostam de ficar contando coisas do passado, e isso foi se confirmando com meu papito (88 aninhos), e agora eu aqui, falando de passado... e parece mesmo que quanto mais velho, as memórias do passado longíquo (assim que se escreve?), vão ficando mais nítidas, ao contrário das memórias do passado recente vão ficando mais apagadas.... hum... o que teve de mistura na janta de ontem mesmo?...

transcedental 1 (1980)

transcedental 2 (1980)

Um comentário:

  1. É incrível... Eu conhecia a anédota da "revolução religiosa do Mitio", de cómo ele tinha queimado todos os seus quadros, e eu tinha ficado com vontade de vé-los. E agora, séculos e muitos kilómetros depois, estou véndo-os!
    São belos e inspiradores, bendita a Sonia Wail...
    Também adorei lembrar os tempos da Chácara Canaã, ver fotos da casa (onde eu me "cassei"!), e acho que tô començando a ficar velinha, pois adoro lembrar estas lembranças, e adoro o jeito como você as lembra.
    Gracias de coração, querido Alam.
    Um forte abraço, Shanti

    ResponderExcluir

pitacos carinhosos