09 julho 2006

kensan e crença cega

Nas Escolas de Kensan, nos Tokkou, ou na Associação Yamaguishi, vinhamos talvez chamando genericamente de [kensan] ou [yamaguishismo], o fato de termos examinado e praticado "a maneiras de ser", "a maneira de pensar" e "a maneira de vivier" do ser humano e da sociedade humana que seja a verdadeira.

Kensan ou Yamagishismo não é procurar/encontrar a verdade e levar à prática, é através de Yamaguisismo e Kensan procurar/encontrar a verdade e levar à prática.

Esta diferença/distinção é de tamanha gravidade, significa que poderiamos estar simplesmente enganados, pensando que estava fazendo yamaguishimo e kensan, fora da essência do yamaguishismo ou kensan.

Praticar/executar o que eu penso que seja a verdade. Significa que isto em si, já de antemão está fora do kensan e do yamaguishimo.

Está baseado na crença cega, no fixação sem a autoconsciencia pelos meus pensamentos.

Nos casos em que haja consenso numa reunião de kensan, será que muitas vezes o que acontece é que está sendo tomado uma decisão, por cada uma das pessoas que creem cegamente nos seus pensamentos?

Fazer o que eu penso que é bom, é correr sozinho, mas fazer o que todos acham bom é ato de correria descontrolada coletiva.

Mesmo sem a autoconsciencia de que não está fixando, mesmo se juntarem e conversarem os cegos crentes em si que colocam peso no fato de pensar que é bom com os meus pensamentos, só vai inflar a cegueira coletiva.

É natural e óbvio que não é possível acreditar, nem desconfiar, nem criticar, nem julgar com os meus pensamentos, ficar julgando "aquilo é verdadeiro", ou "em direção ao verdadeiro objetivo" sem essa base, só vai dividir e é ovio que surjam sentimentos contras, paredes e confrontos.

Perceber o quanto antes a minha própria tendência em acreditar e fixar os meus pensamentos, a partir das pessoas que perceberam, quero caminhar o caminho da incorporação do kensan.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

pitacos carinhosos